segunda-feira, novembro 26, 2007

Hipertensão abdominal:Mensuração da pressão intra-abdominal nas unidades de tratamento intensivo. A opinião dos médicos intensivistas

O artigo abaixo está no último número RBTI (vol3, 2007)e é bastante ilustrativo de uma situação prevalente onde as intervenções de educação continuada são bemvindas.

clique no título desse post e abra o artigo em pdf!



Mensuração da pressão intra-abdominal nas unidades de tratamento intensivo. A opinião dos médicos intensivistas.


1: ANDRE MIGUEL JAPIASSU 2: HAROLDO FALCÃO RAMOS DA CUNHA 3: SANDRA RODRIGUES DE FREITAS SILVA 4: PAULO CÉSAR SILVA PEREIRA SOUZA 5: ROBERTO SEABRA LANNES 6: RICARDO SATO IKUHARA 7: MARCIO SOARES 8: JORGE IBRAIN FIGUEIRA SALLUH 9: FERNANDO FREITAS 10: ANALICIA M DIAS 11: GUSTAVO F ALMEIDA

JUSTIFICATIVA:
Os efeitos adversos da hipertensão intra-abdominal (PIA) são conhecidos há muitos anos, mas apenas recentemente deu-se importância à sua monitorização. Há evidências que cerca de um quarto dos centros de tratamento intensivo (CTI) não medem a PIA por falta de conhecimento da sua importância ou dificuldade na interpretação dos resultados. O objetivo deste estudo foi avaliar o conhecimento dos médicos sobre a síndrome de compartimento abdominal (SCA) e as características do seu manuseio.
METODO:
Para a realização deste estudo foi enviado um questionário, contendo 12 perguntas sobre o assunto, para médicos que trabalham em CTI.
RESULTADOS:
O conhecimento das definições internacionais de SCA não parece estar influenciado pelo tempo de exercício da Medicina, mas sim pelo tempo de atividade dedicada à Medicina Intensiva. Embora a maioria esteja ciente da existência da SCA, menos da metade dos médicos que responderam ao questionário conhece as definições internacionais de 2004. A medida da PIA é realizada em pacientes com predisposição para SCA, por via intravesical, com injeção de 25 a 100 mL de líquido, com intervalos de 4 a 8 horas. Não parece existir valor de PIA (associado ou não a disfunções orgânicas) de consenso entre médicos desta pesquisa em relação ao tratamento clínico ou cirúrgico.
CONCLUSÂO:
O conhecimento sobre SCA é satisfatório quando considerados apenas os médicos que atuam majoritariamente em Medicina Intensiva. Contudo, é necessária a educação acerca da presença e gravidade da hipertensão intra-abdominal para grande parte dos médicos atuantes na Medicina Intensiva na região metropolitana do Rio de Janeiro.

Sem comentários:

Enviar um comentário