domingo, janeiro 11, 2009

QUAL O MAIOR GRAU DE HIPOXEMIA TOLERADO PELO SER HUMANO?

Arterial blood gases and Oxygen Content in Climbers of Mount Everest.
Grocott M, Martin DS, Levett D, McMorrow R, Windsor J, Montogomery HE. N Engl J Med. 2009; 360(2): 140-9.
Neste artigo publicado na edição desta semana do NEJM, os pesquisadores tentam ir ao limite da tolerância do ser humano a condições extremas. Foram coletadas amostras de sangue arterial de 10 pessoas que escalaram o Monte Everest com suplementação de oxigênio apenas a partir dos 7100m de altitude (embora as gasometrias tenham sido coletadas após 20 minutos ventilando em ar ambiente).
A pO2 diminuiu progressimente com o aumento de altitude da escalada, enquanto a saturação se manteve relativamente estável. A concentração de hemoglobina aumentou significativamente ao longo da escalada, bem como a diferença alveolo-arterial de oxigênio. Este último achado foi atribuído a edema pulmonar relacionado a grandes altitudes subclinico.
Ao se atingir 8400m de altitude, a pO2 média foi de 24,6 mmHg e a pCO2 média foi de 13,3mmHg. Apesar da hipoxemia grave, não houve deficit cognitivo aparente entre os participantes da pesquisa.
Os resultados desse estudo são interessantes, uma vez que a definição dos limites de hipoxemia toleráveis no paciente em terapia intensiva são de primordial importância, já que vários tratamentos objetivando restaurar a DO2 e melhorar a hipoxia tecidual tem sido ineficazes ou, até mesmo, danosos ao paciente.
Cássia Righy