quinta-feira, agosto 18, 2011

Nova evidência de imunoparalisia na sepse

Profound and persistent decrease of circulating dendritic cells is associated with ICU-acquired infection in patients with septic shock. Grimaldi et al. Intensive Care Med 2011; 37:1438-46.

Frequentemente pacientes sépticos desenvolvem infecções nosocomiais após o primeiro insulto infeccioso. Estas infecções secundárias aumentam a mortalidade e vários pacotes de medidas preventivas foram implementados, mas nem sempre com sucesso.

Pesquisadores franceses estudaram a distribuição e classificação das células dendríticas presentes no sangue de pacientes sépticos no 1o, 3o e 7o dias.

As células dendríticas são importantes componentes do sistema imune, que fagocitam/reconhecem antígenos nos linfonodos e apresentam-nos a outras células imunes. Cerca de 1% das células dendríticas circulam no sangue periférico.

Foram incluídos 43 pacientes com choque séptico e 45 sem sepse ou sepse não-grave. Ocorreu depleção grave de céls dendríticas no sangue periférico dos pacientes com choque séptico, tanto no 1o dia quanto após 7 dias. Esta marcação, que foi feita por citometria de fluxo, se associou com o desenvolvimento de infecções nosocomiais, principalmente quando não houve recuperação do nível destas células após 7 dias (delta D7 - D1).

A monitorização de células presentes na circulação pode ser uma maneira de prever o desenvolvimento de infecções nosocomiais.

André Japiassú