domingo, novembro 18, 2012

ESMOLOL NA SEPSE?

K Mori e colaboradores (Intensive Care Med 2011; 37: 1848-56) avaliaram a administração de esmolol em 19 ratos Wilstar submetidos a sepse e demonstraram que aqueles tratados com esmolol apresentaram maior sobrevida (65 vs 28 horas), menores índices de translocação bacteriana, concentração de TNF-alfa no periotônio e lesão do trato gastrintestinal.  Os autores sugerem que a administração de esmolol beneficiou os animais reduzindo a translocação bacteriana.

Flávio E. Nácul