segunda-feira, fevereiro 04, 2013

Intoxicação por CO: o que fazer ? (aconteceu em Santa Maria)

Como já é de conhecimento de todos, a tragédia na Boate Kiss de Santa Maria (RS) levou vários jovens à morte, por asfixia e intoxicação por monóxido de carbono (CO). Se estivéssemos lá, o que deveríamos saber e fazer ?

1. Suspeita de intoxicação por CO com incêndios em espaços fechados

2. Atenção para queimaduras em pele e de vias aéreas; intubação traqueal precoce antes que o edema de vias aéreas a torne muito difícil

3. Pode haver intoxicação por CO sem fogo ? Sim, com ingestão de cloreto de metileno, componente de removedor de tintas. O cloreto de metileno é metabolizado em CO no fígado

4. O CO se liga na hemoglobina, competindo com oxigênio e inibe a cadeia fosforilativa, causando disfunção mitocondrial grave

5. Se alguém te oferecer um oxímetro de pulso para tentar diagnosticar a intoxicação por CO, não aceite; apenas a gasometria dá o diagnóstico

6. A meia-vida do CO depende da fração inspirada de oxigênio: se um sobrevivente da boate saísse e ficasse inalando ar ambiente (FiO2 = 21%), levaria 5 horas para eliminar todo CO; se inalasse oxigênio a 100%, este tempo cairia para 1,5 h

- indicações precisas de oxigênio em altas concentrações: COHb > 25%; torpor/coma; pH < 7,1; alteração no ECG

7. Os sobreviventes poderiam ter insuficiência cardíaca (24%), que aumenta a mortalidade; quem sobrevive após a fase aguda pode ter sintomas neuropsiquiátricos após dias a meses, independentemente da síndrome de estresse pós-traumática

8. Se houvesse mulheres grávidas, deveríamos indicar oxigênio em altas concentrações, mesmo que a mulher estivesse bem, porque o CO tem meia-vida maior com hemoglobina fetal, ocasionando lesão imperceptível ao feto

9. Última dica: cuidado com noitadas em ambientes fechados e com confinamento provável (retenção para pagamento de comandas).


(com apoio de Uptodate)

André Japiassú